contato
Home O que é o PET Quem Somos Egressos Atividades Novidades Produção Intelectual Relatórios Links
 
A construção do espaço em Casa de Pensão de Aluízio Azevedo
Pesquisador(es): Gislene da Silva
1/7/2011 a 1/7/2012  (Concluído)

A linha de pesquisa do presente projeto visa entender como é construída a espacialização dentro de uma obra literária, neste caso o romance Casa de Pensão de Aluízio Azevedo. Utilizando como base teórica o livro Espaço e Literatura: Introdução à Topoanálise (BORGES FILHO), buscaremos compreender como a espacialização se estabelece no texto literário e quais os efeitos de sentido criados pela utilização de cada um dos elementos utilizados para essa construção. Através da divisão da obra em dois espaços principais onde o protagonista realiza as suas ações, estudaremos cada um nos seus detalhes, para melhor conhecimento da obra. O estudo da espacialização é uma ferramenta importante para o conhecimento das relações, atitudes, pensamentos, desejos humanos daí o nosso interesse por este aspecto.

Download PDF
Topoanálise dos poemas “Cenário” do livro Romanceiro da inconfidência
Pesquisador(es): Aline Rosa Maximiniano de Souza
1/7/2011 a 1/7/2012  (Concluído)

Partindo da análise que foca a importância do espaço na narrativa, tomando os estudos feitos pelo teórico Borges Filho no livro intitulado Introdução à topoanálise, pretende-se demonstrar a importância do “Cenário” no livro de Meireles que retrata um momento da história brasileira conhecida como Inconfidência Mineira. Tais poemas retratam a topografia de Minas Gerais especialmente da região da atual Ouro Preto, bem como descrevem o “clima” de frustração e revolta vivido na região durante o período aurífero no Brasil colonial. O foco desse trabalho é apresentar a relação entre os elementos naturais e os elementos psicoemocionais para compreendermos todas as sensações que o eu-lírico busca apresentar em seus poemas.

Download PDF
Dimensão – uma revista literária internacional em Uberaba
Pesquisador(es): Taís Iniz de Paiva
2/1/2011 a 31/12/2011  (Concluído)

A cidade de Uberaba possui uma rica e vasta produção literária, bem como importantes escritores locais, porém, muitas vezes, esse material está abandonado, mal cuidado e inacessível. Assim, a presente pesquisa terá como foco o estudo de um dos principais periódicos literário de Uberaba, que foi lançado e produzido na cidade na década de 80, chamado Dimensão - Revista de Poesia. Para preservar esse patrimônio cultural, o primeiro passo será fazermos sua digitalização. Isso também tornará o periódico mais acessível e sua divulgação mais fácil. Posteriormente, construiremos a historicidade da revista e analisaremos os textos dos autores uberabenses que foram publicados na revista. Com isso, conheceremos melhor a história literária da cidade e o trabalho dos autores do município.

Download PDF
A Visão Feminina na Literatura Espanhola do Século XIX
Pesquisador(es): Karla Cristiane Pintar
2/1/2011 a 31/12/2011  (Concluído)

É no contexto do conservadorismo explícito e poder explorador das pequenas massas que Clorinda Turner, escritora peruana, na sua obra “Aves sin nido”, constrói imagens, a partir de seus olhos, sobre a sociedade vigente da época e, consequentemente, critica o controle depositado nas mãos de políticos e governantes peruanos que detinham o comando e se diziam aptos a estabelecer a ordem político-administrativa do país, enquanto os defensores do governo liberal defendiam a liberdade de direitos e a regência do país pela população. Em meio a debates e brigas políticas, Turner idealiza um país a partir dos problemas sociais, políticos e administrativos existentes na sociedade peruana. Para ela, seria de fundamental importância que a mudança de uma sociedade ainda com características coloniais – quase feudais por excelência – para uma mais civilizada, por assim dizer, seria a educação. A partir do contexto histórico e literário, analisaremos a atuação feminina na elaboração de obras que compreendiam as imagens e ideias laboradas pelas autoras da época.

Download PDF
Ecologia da Educação Digital no contexto de Ensino e Aprendizagem de Língua Inglesa
Pesquisador(es): Fernanda Apolinário Galera
1/1/2011 a 31/12/2011  (Concluído)

Um dos interesses de pesquisadores nas últimas décadas é o de entender as interrelações entre seres humanos e o meio digital, ou mesmo entre seres humanos por meio de computadores, e ainda seus processos de funcionalidade e adaptação mútuas. Para fundamentar uma pesquisa dessa natureza, faz-se necessário definir qual perspectiva melhor representa nossa visão de aprendizagem, especificamente a de língua inglesa em contextos de uso de tecnologia. Interessa-nos compreender as diferentes situações nas quais aprendizes de língua inglesa utilizam artefatos tecnológicos que envolvam jogos eletrônicos, computadores e Internet; observar os relacionamentos e os processos que emergem devido ao uso desses artefatos, e ainda como a aprendizagem é oportunizada. Para tanto, seguimos uma perspectiva ecológica, que pode abranger o contexto do ambiente de aprendizagem, tomando-o como sistema adaptativo complexo (VAN LIER, 1997). Essa perspectiva fundamenta-se na psicologia ecológica cuja unidade de análise é a interação entre agente e ambiente, na qual o agente é considerado um sistema auto-organizado, movido por intenções e interagindo com um ambiente repleto de informação. Sucintamente, segundo Van Lier (2004, p. 144), “a ecologia é o estudo das relações entre todos os organismos e seu ambiente físico”.

Download PDF
“Chuva Oblíqua” e “Poema de Sete Faces”: uma leitura intertextual
Pesquisador(es): Ana Carolina Martins Borges
1/1/2011 a 31/12/2011  (Concluído)

Carlos Drummond é considerado um dos maiores poetas do Modernismo. Ele libertou o verso de suas amarras rompendo com a tradição literária de sua época com sua obra vasta e complexa. Com seu olhar sensível e sua visão critica aliada ao seu tom sarcástico, o poeta ‘gauche’ é associado ao novo, ao moderno e é considerado pelos críticos um poeta extraordinário. Fernando Pessoa fez da língua portuguesa sua pátria, se entregou sem limites à sua língua escrevendo sobre o conhecido e o desconhecido. Manifestou a despersonalização do poeta, marca do Modernismo, através dos heterônimos, do “eu” ortônimo e do poeta dramático. Além da criação dos vários “ismos” que serviriam como fundo de pano para sua poesia, como o interseccionismo, cujo paradigma é o poema “Chuva Oblíqua”. Ambos os poemas apresentam lados/ faces que unidos formam um todo complexo e articulado. As faces representam os vários lados de um mesmo ser, lados que se diferem e se completam para formar um ser complexo e contraditório.

Download PDF
O ir e vir das preposições - um estudo diacrônico dos complementos dos verbos ir e vir no português mineiro de Uberaba.
Pesquisador(es): Thamiris Abrão Borralho
1/1/2011 a 31/12/2011  (Concluído)

A língua portuguesa, como qualquer outra língua, sofreu e sofre variações e/ou mudanças à medida que é utilizada por seus falantes. Tendo em vista que a língua falada ou escrita de sincronias passadas não é a mesma utilizada nos dias de hoje. Seguindo esta perspectiva de língua – variável e heterogênea –, muitos linguistas estão desenvolvendo pesquisas sobre o português mineiro, entretanto ainda há poucas sobre o português da região de Uberaba. Partindo desse pressuposto, é relevante um estudo que auxilie na caracterização do português da cidade de Uberaba, como, por exemplo, no caso deste projeto, a relação existente entre os verbos ir e vir com as preposições que os acompanham, levando em conta os complementos que serão objetos desse verbo. Para que dessa maneira, possa-se discutir a variação linguística no português mineiro escrito de Uberaba. Para isto, será feita uma pesquisa descritivo-comparativa entre os usos das preposições que acompanham os verbos ir e vir nos jornais dos anos de 1937, no jornal “Lavoura e Comercio”, em que os dados colhidos provêm de cópias digitalizadas do Arquivo Público de Uberaba, e, na atualidade, nos jornais do “Jornal da Manhã”. Estão sendo elencadas 50 ocorrências dos verbos “ir” e “vir” em cada jornal, que totalizam 100 ocorrências no corpus. Uma vez estabelecido os dados, a análise segue os pressupostos teórico-metodológicos da sociolingüística laboviana (Weinreich, Labov, Herzog 2006 [1968]; Labov 1972, 1994). As informações obtidas são tratadas estatisticamente por meio dos programas estatísticos GOLDVARB, e posteriormente, qualitativamente, analisando os grupos de fatores e suas correlações. Assim, o projeto pretende apresentar um estudo diacrônico variacionista que se estabeleça uma análise em que se pode descobrir se houve ou não variação linguística, e quais foram (ou não) as razões desta variação.

Download PDF
Tropicalismo: um neo-antropofagismo?
Pesquisador(es): Suzana Rodrigues Brandão
1/1/2011 a 31/12/2011  (Concluído)

O projeto aqui apresentado vinculado ao grupo de pesquisa “Literatura em Diálogo”, orientado pelo Prof Dr. Carlos Francisco de Morais tem como objetivo comparar as poesias do Movimento Antropófago com as letras de música do Movimento Tropicalista, e verificar em quais delas há influência de um movimento sobre o outro.

Download PDF
O Ensino de Espanhol para Brasileiros: Uma Abordagem Comunicativa
Pesquisador(es): Renata Borges Fernandes Sousa
1/1/2011 a 31/12/2011  (Concluído)

O Ensino Comunicativo já não é novidade no Brasil nem no mundo, mas percebemos que ainda se encontra enraizada no professor de língua estrangeira o ensino com enfoque gramatical. Pretendemos neste trabalho mostrar como o ensino comunicativo pode enriquecer o ensino aprendizagem de língua estrangeira,num ambiente descontraído, contribuindo até mesmo para amenizar os fatores afetivos( medo, vergonha) que podem interferir nesta aprendizagem.

Download PDF
A construção do espaço na ilha de Utopia
Pesquisador(es): Raysa Barbosa Correa Lima Pacheco
1/1/2011 a 31/12/2011  (Concluído)

A linha de pesquisa seguida pela análise em questão visa focar a constituição do espaço dentro de uma obra literária. Utilizando como principal referencial teórico o livro Introdução à Topoanálise (BORGES FILHO), objetiva-se analisar quais os efeitos de sentido do espaço de uma ilha dentro da obra Utopia, de Thomas Morus, escrita no século XVI. Analisam-se os espaços a fim de perceber como essa ilha, utópica, contrasta com a realidade política e sócio-econômica da Inglaterra do século XVI, cenário de desigualdades sociais e da decadência do regime feudal. Morus dá a voz a Rafael Hitlodeu, um suposto amigo que tece comentários críticos sobre a estrutura do país e faz um relato sobre a ilha de Utopia, caracterizada por ele como “maravilhosa”. Fica evidente como o autor usou o recurso do suposto amigo para divulgar suas próprias idéias, a fim de ficar impune daquilo que pudesse ferir as conjunturas da sociedade em que vivia. Utopia se divide em duas partes. Na primeira, Morus tem um diálogo com Rafael Hitlodeu, no qual o sábio amigo disserta sobre a ociosidade da nobreza, as guerras, de acordo com ele desnecessárias, o sistema penitenciário, critica o monopólio da lã, etc. Nosso foco está na segunda parte, em que Hitlodeu descreve a ilha de Utopia enquanto um lugar perfeito, de instituições perfeitas, de superioridade material e social. A descrição abarca tanto aspectos físicos como sociais, pois disserta sobre as cidades, sobre os magistrados, sobre as artes e os ofícios, as relações entre os cidadãos, as viagens, os escravos, a guerra e a religião.

Download PDF
A visão romântica do século XIX e o fantástico em “A Rainha do Ignoto” de Emilia Freitas
Pesquisador(es): Pâmela Pinto Chiareli
1/1/2011 a 31/12/2011  (Concluído)

A análise proposta pelo artigo visa a contemplar, no livro A Rainha do Ignoto, de Emília Freitas, conceitos acerca do realismo fantástico utilizando, principalmente, a teoria de Todorov e como os mesmos aliados à visão romântica da época estão inseridos na obra.

Download PDF
Ricardo Reis e Álvaro de Campos, leitores de Alberto Caeiro
Pesquisador(es): Lívia Maria Zocca
1/1/2011 a 31/1/2011  (Concluído)

Fernando Pessoa tinha muitos heterônimos, contudo três foram os principais: Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos. Estes dois últimos parecem ocupar pólos opostos, diferindo-se em pontos importantes que influem de forma significativa na concepção de suas obras. Entretanto, o mestre dos heterônimos, Caeiro, é o ponto onde eles se encontram (e derivam), tornando-se seus leitores e buscando apreender sua filosofia sensacionista. A teoria da intertextualidade proposta por Kristeva aponta para a realidade do texto como resultado de relações com outros textos, discursos e ideologias. Cada texto escrito estaria relacionado a um outro ou a um conjunto de textos. Deste modo, tomando por base esta fundamentação teórica, a peculiaridade entre a poesia de cada um dos heterônimos discípulos diante da mesma fonte de observação (o modo de viver de Caeiro) motiva esta pesquisa.

Download PDF
Páginas:  1   2   3  


Pet Letras
© Todos os direitos reservados
pet@letras.uftm.edu.br
UFTM - Uberaba.MG